Home Artigos Especiais A história de Assassin’s Creed do início ao fim

A história de Assassin’s Creed do início ao fim

Compartilhe

Assassin’s Creed é um jogo com uma história densa e interessante, neste artigo vou contar sobre ela.

É importante lembrar que os fatos descritos abaixo foram escritos em base da história do jogo somente, então pode ser que algumas informações sejam diferentes, por exemplo, com relação à história contada nos livros.

Para descrever a história de Assassin’s Creed, escolhi não revelar nada que acontece antes ou depois dos acontecimentos do jogo e se você jogou até o final já sabe que tudo não termina nesse jogo e que continua no Assassin’s Creed 2.

Contexto histórico

Minha professora de literatura sempre dizia: “Para compreender um livro você tem que conhecer o seu contexto histórico”, era fazendo isso que eu não ficava perdida ao ler aqueles livros que pedem no vestibular, livros esses datados em eras bem diferentes da nossa que vivemos.

Para você que vai começar a ler eu digo o mesmo, o jogo Assassin’s Creed é baseado na história, então alguns lugares, pessoas e costumes encontrados nele são baseados na realidade.

Quer entender melhor? Sugiro que você assista ao documentário sobre a guerra que ocorria durante a época do personagem principal do jogo.

Ao longo do texto você também encontrará alguns links que descrevem sobre a pessoa ou item em questão, para melhor entendimento não deixe de conferir.

Desmond Miles

Desmond Miles nasceu de uma família tradicional, rígida e sempre fiel aos seus antepassados, essa família é aliada a um grupo pouco conhecido pelas pessoas, esse grupo é a Ordem dos Assassinos que ao longo de várias décadas luta pela liberdade ameaçada pelo seu principal inimigo, o grupo dos Cavaleiros Templários.

Desmond tem algo especial consigo, dentro de seu corpo há o DNA dos de seus antepassados que foram de suma importância nessa batalha entre Assassinos e Templários. Por esse motivo a família do garoto nunca deixou que ele saísse da proteção de seu lar em uma região afastada das garras de seus inimigos.

No ano de 2003 o garoto com 16 anos já cansado de viver isolado e dando pouca confiança às histórias da família, usou tudo que havia aprendido na ordem para poder escapar, viver em liberdade e ter uma vida normal como todo mundo.

Desmond Miles de Assassin's Creed

Vivendo em segredo, Desmond passou a trabalhar como bartender no bar Bad Weather em Nova York, até que em setembro de 2012 ele usou suas impressões digitais para tirar uma carteira de moto. Foi nesse momento que a empresa Abstergo Industries descobriu onde ele estava, essa multinacional na verdade é um dos disfarces dos Templários, Desmond foi sequestrado por eles.

Animus

Miles agora foi submetido a uma máquina chamada Animus, ela faz com que seja possível visitar memórias dos antepassados da pessoa, porém a mente do bartender resistiu, sabendo disso o cientista da Abstergo, Warren Vidic o acordou e propôs que ele colabore com o processo, senão ele o induziria a um estado de coma para continuar.

Ao lado de Warren estava outra empregada chamada Lucy Stillman. Sem saída, Desmond colabora e entra na máquina. O objetivo dos cientistas é o de vasculhar as memórias do antepassado e encontrar um artefato poderoso que ainda hoje está escondido.

Desmond e os cientistas da animus

Durante o processo, Warren mostrou-se impaciente e indiferente à saúde de Desmond, para ele o sucesso da pesquisa era tudo que importava, porém Lucy mostrou que se importa com Desmond e convenceu Warren de tempos em tempos deixar que Miles pare de usar a Animus e descanse.

Dentro da Animus você não pode acessar a memória que quiser e sim a que estiver disponível, a ideia dos cientistas é de pegar essa memória e ir acompanhando aos poucos até que ela leve ao momento desejado.

Desmond Miles e Animus de Assassin's Creed

Desmond Miles não foi o primeiro a ser usado no Projeto Animus e sim o 17º, mas é o primeiro que deu ótimos resultados.

A seguir estão descritos os acontecimentos que Desmond viveu em sua mente com a ajuda da Animus no passado de um membro da Ordem dos Assassinos chamado Altair, não irei descrever as partes onde ele sai do domínio da Animus para descansar.

Altaïr Ibn-La’Ahad

Em julho de 1191 o mestre Assassino Altair saiu juntamente com os irmãos Malik e Kadar Al-Sayf em uma missão para roubar tesouros em pose dos Cavaleiros Templários próximo ao que sobrou do Templo de Salomão.

Chegando lá Altair mata desnecessariamente alguns vigias, deixando Malik muito irritado, no lugar eles avistaram o que poderia ser a Arca da Aliança, dizem que objetos importantes como as tábuas dos 10 mandamentos foram armazenadas nela.

Os Assassinos encontrando a Arca da Aliança

Altair mostra não acreditar que esse objeto exista e que tudo não passa de histórias, não muito depois, um dos maiores inimigos da Ordem dos Assassinos aparece: Roberto de Sablé está acompanhado de alguns Cavaleiros Templários.

Ignorando a missão e os avisos de Malik, Altair parte para assassinar Roberto, mas falha, ele foi arremessado contra destroços o impossibilitando de tentar qualquer coisa contra seu inimigo e além disso, Malik e Kadar ficaram para trás lutando com os Templários.

Robert de Sable atacando AltairVoltando ao quartel general dos Assassinos, Altair reporta o ocorrido ao seu superior Al Mualim que naturalmente fica muito descontente, pouco depois Malik aparece com o braço seriamente machucado, ele informa que o irmão havia morrido e que além de ter fugido ele conseguiu pegar um dos tesouros.

tesouro recuperado por Malik
O tesouro recuperado por Malik.

Malik descarrega a culpa em Altair que ignorou os valores da organização e agiu por conta própria pondo a todos em perigo. Em alguns instantes um informante revela que Roberto de Sablé está atacando a cidade de Masyaf que serve como sede da Ordem dos Assassinos.

Todos, inclusive Altair partem para defender a sede contida em um grande castelo. Após usar uma armadilha contra invasores, o grupo dos Templários são expulsos e impedidos de invadir.

A punição

Al Mualim de forma misteriosa mostra para Altair uma ilusão onde ele seria punido com a morte, sem entender muito bem o que aconteceu, Altair questiona seu superior e ele informa que dará uma segunda chance para ele.

Agora o Assassino perderá o título de Mestre e será rebaixado ao menor posto da Ordem, perderá seus equipamentos e toda sua influência, para recuperar seu lugar ele terá que voltar a fazer missões assim como os novatos, para que ele reaprenda os valores da Ordem.

O chefe dos assassinos em Masyaf

Sua primeira missão é a de levar um suposto traidor que havia ajudado Roberto de Sablé, apesar deles já saberem informações dele, Altair teria que descobrir sozinho, isso o deixou bastante irritado, todo o seu orgulho está ferido já que ele terá que fazer tarefas muito abaixo de suas capacidades.

O traidor

Altair ouviu dois homens conversando a respeito de um homem chamado Masun que havia aberto os portões para os Templários a mando de outra pessoa. Após a investigação, Altair capturou Masun que recebeu a ordem de um Assassino chamado Jamal.

Diante de Al Mualin, Masun teve a chance de pedir redenção pelos seus atos, mas ele recusou alegando lealdade à causa dos Templários. Al Mualin então executa o traidor com uma espada.

Al Mualin executando o traidor Masun em Assassin's Creed

Para Jamal não foi dada de imediato a sentença de morte até que ele seja interrogado, mas essa não seria a próxima missão do Assassino.

Os 9 alvos

Al Mualin avisa Altair que possui o nome de 9 pessoas que devem ser assassinadas, ele alega que esses alvos são uma ameaça ao povo e que eles ajudarão no sucesso das Cruzadas.

O primeiro nome da lista foi revelado: Tamir, um comerciante do mercado negro em Damasco.

A ordem de alguns dos assassinatos será apresentada aqui de acordo com a gameplay do Assassin’s Creed que joguei e pode ser diferente para outros.

Tamir

Altair fica bravo ao saber que ele terá que pedir permissão para outro membro da Ordem em Damasco para assassinar Tamir. Chegando em Damasco ele faz uma investigação a respeito do alvo e descobre como ele distrata seus empregados e colaboradores.

Em praça pública Tamir discute com um outro comerciante que explica não ter condições de atender a alta demanda de itens que ele havia solicitado, com muita raiva Tamir esfaqueia sem remorso o homem e deixa seu corpo em uma pequena fonte no centro da praça para que todo mundo veja.

Tamir matando um comerciante

Altair aproveita a confusão para matar Tamir, em seu leito de morte ele conversa com o Assassino e o faz pensar porque ele havia sido escolhido como alvo, Tamir afirma fazer parte de uma irmandade e que ele é somente uma peça de algo muito maior.

Tamir morrendo

Após completar a missão, Altair confronta Al Mualim a respeito das últimas palavras de Tamir e pergunta porque ele não dividiu todas as informações, o seu mentor então diz ao Assassino que esse é o preço que ele paga pelos atos do passado e que algumas coisas sobre os alvos não serão reveladas.

Altair subiu um nível na organização e recebeu de volta parte de seu equipamento. Al Mualim pede que ele vá para Acre ou Jerusalém para buscar com outros membros informações dos 2 novos alvos.

Garnier de Naplouse

Chegando em Acre, Altair inicia sua investigação em seu novo alvo Garnier de Naplouse, ele é o Grão-mestre dos Cavaleiros Hospitalarios e atualmente é o médico principal do hospital de Acre.

Assim que Altair começou a levantar informações de Garnier, ele logo descobriu como seus pacientes como eram tratados que nem ratos de laboratório. Após completar a pesquisa e receber a pena, que representa a permissão para matar, do Assassino encarregado da cidade, Altair foi ao hospital executar Naplouse.

Garnier de Naplouse dando um tapa em um fugitivo

O acesso ao hospital é restrito para muitos, o Assassino teve que se infiltrar secretamente no estabelecimento, lá ele testemunhou uma tentativa de fuga de um dos pacientes do doutor, neste momento Garnier aparece tentando acalmar o fugitivo, mas o homem não acredita nas palavras bondosas do doutor alegando que ele faz coisas horrorosas com outras pessoas internadas.

Já com raiva, Garnier de Naplouse estapeia o rosto do paciente e ordena aos guardas que sejam quebradas as suas duas pernas, dessa forma o homem não poderia fugir novamente.

Altair aproveita que o médico havia voltado ao trabalho para poder atacá-lo, antes de morrer, Garnier disse que estava tentando ajudar os seus pacientes, ele demonstrou que realmente acreditava estar ajudando aquelas pessoas, ele ainda completa dizendo que tudo isso não é o que ele acredita, mas sim o que ele sabe.

Garnier em seu leito de morte em assassin's creed

Voltando para reportar a morte de Garnier para Al Mualim, Altair comenta como o médico, apesar de seu método, ainda tinha pessoas que eram gratas pelo tratamento e em como ele acreditava realmente fazer algo de bom.

Al Mualim responde a esse comentário ao dizer que ele usava ervas e medicamentos para enganar o julgamento das pessoas e que era inteligente o suficiente para não ter somente inimigos assim como um bom líder faria.

Talal

Já em Jerusalém, Altair se apresenta para o representante da Ordem na região que é o Malik, ainda com rancor de Altair pela morte do irmão e a perda de seu braço, ele não é muito bem receptivo.

Com um pouco de investigação Altair descobre que Talal sequestra pessoas e as vende como escravos, agora com a localização de seu esconderijo e com a permissão de Malik, Altair vai ao seu encontro.

Talal encurralando Altair

Altair invade o lugar, mas Talal já estava esperando o Assassino e armou uma armadilha, cercado por vários capangas, Altair consegue derrotar vários deles, Talal decide fugir, mas é alcançado e assassinado.

Antes de morrer ele disse que fazia um favor para as pessoas que ele vendia como escravos, que elas não tinham nenhum futuro ficando na cidade. Talal também disse que a morte dele não iria resolver os problemas e que ele estava enganado a seu respeito.

Talal em seu leito de morteQuando Altair foi reportar para Malik, ele ficou furioso com o fato do Assassino ter chamado a atenção da cidade inteira com o assassinato de Talal e fez questão de lembra-lo dos valores da Ordem dos Assassinos.

De volta na fortaleza da Ordem, Al Mualim parabeniza Altair por cumprir as missões, mas o lembra que esse é só o começo, ele também explica sobre a situação de guerra entre o Rei Ricardo Coração de Leão e o sultão Saladino.

Altair questiona porque não terminar com essa guerra simplesmente matando os dois líderes, mas Al Mualim explica que não é tão simples assim e apresenta para ele 3 nomes dos próximos alvos que cuja morte irá fazer grande diferença.

Abu’l Nuqoud

Partindo novamente para Damasco, Altair começa sua investigação sobre Abu’l Nuqoud, um homem rico conhecido como o rei do comércio na cidade. Abu na verdade detesta pessoas pobres e acredita que eles são uma mancha na sociedade, ele adora ser o centro das atenções e mostrar para todos como é “generoso”.

Altair na festa de Abu'l Nuqoud

O Assassino conseguiu informações de uma festa que ele estaria organizando, ao chegar no local ele encontra Abu fazendo um discurso que primeiramente parecia normal, até ele revelar todo seu ódio por aquelas pessoas presentes na festa que escolheram lutar junto com Saladino, ele completa dizendo que havia envenenado a bebida e ordena a execução de todos presentes.

Altair aproveita o tumulto e assassina Abu’l Nuqoud, em seu leito de morte o comerciante diz que se juntou aos Templários não por vingança, mas sim para construir um mundo que ele acreditava ser melhor.

Abu'l Nuqoud sendo assassinado em damasco

Altair volta para Al Mualim com dúvidas dizendo que todos aqueles que ele havia executado não sentiram remorso e acreditavam estar fazendo a escolha certa, o seu mentor garante que ele está matando pessoas que querem acabar com a paz e que ele não deve acreditar nas palavras dos inimigos.

William de Montferrat

Na cidade de Acre o Assassino busca tudo sobre William de Montferrat que atualmente é regente da região e tenente do rei Ricardo Coração de Leão. Durante esse tempo ele descobre que William retém comida e dinheiro de direito dos cidadãos, em um dos bairros nobres da cidade o regente iria se encontrar com o rei em público.

William e Ricardo discutindo em público no primeiro Assassin's Creed

Altair aparece ao encontro e escuta uma pequena discussão entre os dois, William acusava o rei de não confiar nele já que ele o repreendeu por William ter matado prisioneiros que seriam usados em uma troca, em resposta a isso Ricardo disse que não poderia ter deixado ele como regente da cidade se ele não tivesse confiança.

William morrendo pelas mãos de Altair

Após o rei partir, Altair atacou William, em seus momentos finais ele esclarece que somente não distribuía a comida com a população para racionar em preparo para os dias que virão, ele também deixou claro que seus objetivos não era destronar o rei, mas sim apoiar um outro grupo, sem dizer nomes, ele afirma que o Assassino sabe de qual grupo ele fala.

Muito mais alterado do que antes, Altair confronta Al Mualim exigindo explicações com relação ao que as suas vítimas sempre alegam em seus últimos momentos. Al Mualim então fala que todos eles estão realmente conectados com os Templários assim como Roberto de Sablé.

Aparentemente os Cavaleiros Templários seria somente parte do exército do rei Ricardo nas Cruzadas, mas por trás disso tudo havia uma organização com seus planos próprios.

Altair exigindo respostas de Al Mualim

Majd Addin

Em Jerusalém, Altair descobre mais sobre o regente da cidade Majd Addin que é o próximo nome da lista de morte da Ordem dos Assassinos. Com a ausência de Saladino, Majd comandava tudo na cidade, para ele aqueles que não compartilham de sua mesma visão devem ser eliminados.

O controle de Addin é baseado no medo que ele impõe nos cidadãos, julgamentos seguidos de execução em público são sempre usados como demonstração de seu poder.

Através de Malik, Altair fica sabendo que Majd Addin mantém como prisioneiro um Assassino da ordem e que é de extrema importância que ele execute o alvo antes que o seu companheiro morra.

Majd Addin antes da execução

Altair chega na cerimônia de execução, Majd Addin começa a discursar sobre justiça até que duas pessoas na multidão o acusam de injustiça, os soldados então assassinam os homens que tentavam libertar os prisioneiros.

O Assassino ataca Majd Addin, em seus momentos finais ele diz que pegou a oportunidade de apoiar as ordens dos Templários e que matar para ele era divertido, para Addin era como se as pessoas o vissem como um Deus intocável.

Altair matando Majd Addin

Altair até mesmo afirmou que um dia chegou a se sentir muito poderoso ao tirar tantas vidas, mas que agora ele não pensa mais assim.

Ao reportar a morte de Majd Addin ao seu superior, Altair pergunta a ele porque homens que deveriam ser leais a seus reis estariam os traindo.

Mualim diz que os Templários desejam controle de toda a região local e mundial, além disso ele explica que seus inimigos estão em desvantagem já que não possuem o Pedaço do Éden, artefato que Malik conseguiu recuperar.

O Pedaço do Éden não é somente um artefato, aqueles que o possuem podem controlar a mente de outras pessoas e ele não deve cair em mãos erradas.

Jubair al Hakim

O próximo da lista vive em Damasco, Jubair al Hakim é o chefe dos eruditos da cidade, Altair descobre que ele deu ordens para queimar todos os livros alegando que eles são as causas das guerras e conflitos entre povos de cultura diferente.

O Assassino de longe encontra alguns eruditos ateando fogo em vários livros, Jubair está sendo confrontado por um subordinado que acha um absurdo os atos do comandante, no fim da discussão Al Hakim joga o homem na fogueira junto com os livros.

Jubair al Hakim jogando um subordinado na fogueira

Todos os outros subordinados partiram para coletar mais livros, Altair iniciou uma caçada para cada um deles, ele os matou antes que os textos e documentos de Damasco fossem destruídos.

Em seus últimos momentos, Jubair al Hakim pergunta por que ele foi impedido, o Assassino explica que todos têm o direito de ler o que quiser e que o conhecimento não devia ser negado.

Jubair al Hakim em seus últimos momentosEm conversa com Al Mualim, Altair demonstra que ao longo desse tempo aprendeu que o Credo ou Creed dos Assassinos almeja não a liberdade em si, mas sim a sabedoria e que os Templários são uma ameaça porque eles usariam o poder para tomar o mundo para si mesmos e transforma-lo naquilo que eles acreditam ser o correto sem respeitar a forma diferente que outras pessoas têm sobre a vida.

Al Mualim garante a Altair que com o último assassinato, Roberto de Sablé estará vulnerável para ser atacado.

Sibrand

Em Acre, Altair procura sobre Sibrand, o atual líder dos Cavaleiros Teutônicos que está bastante paranoico com conspirações e espionagem. Sibrand está ajudando os Templários ao bloquear suprimentos para o exército do rei Ricardo através do mar.

Sibrand matando um erudito em público

Ao localizá-lo ele está em público acusando um homem de ser da Ordem dos Assassinos e exige explicações, apesar de negar tudo e pedir clemência, Sibrand mata o homem sem aparentemente ter uma prova concreta, somente desconfianças.

Altair matando Sibrand

Após a cena, Sibrand vai até o seu navio, Altair segue e o assassina. Nos últimos instantes de vida, Sibrand, assim como os outros homens assassinados, não demonstra nenhum remorso para com seus atos durante a vida.

De volta ao castelo dos Assassinos, Altair conversa com Al Mualim a respeito do último alvo: Roberto de Sablé, eles comentam como os Templários tentam forçar uma visão de mundo deles nas outras pessoas quando na verdade eles estão destruindo a liberdade de cada um para escolher, mas que apesar disso tudo, eles também querem paz e unificação, porém através de meios diferentes.

Roberto de Sablé

Agora Altair parte para Jerusalém para assassinar o comandante dos Templários Roberto de Sablé. Após completar com lealdade todos os assassinatos, Altair reconquistou a confiança e respeito entre os seus colegas Assassinos, até mesmo Malik passou a tratá-lo melhor quando o recebe novamente em Jerusalém.

Altair pedindo desculpas para Malik em Jerusalém

Altair descobre com um pouco de investigação que Roberto irá ao enterro de Majd Addin e que esta é a chance de ele atacar, tudo isso ele revela para Malik e logo depois pede desculpas pelo incidente no passado que causou a morte de seu irmão, Malik entende que Altair realmente mudou e o informa que desculpas não são necessárias e que ele já havia o perdoado.

Na cerimônia, Roberto aparece com seu uniforme e capacete, o discurso é interrompido por ele para apontar na plateia o Assassino de Majd, Altair foi avistado e agora é perseguido por diversos inimigos, bravamente ele luta com todos e consegue uma oportunidade para derrotar Roberto.

Antes de executar o golpe final, Altair retira o capacete que cobria o rosto de Roberto e descobriu que não era ele, mas sim uma mulher, tudo não passava de uma armadilha para matar o Assassino enquanto o verdadeiro Roberto partia para Arsuf.

Altair encontra uma mulher disfarçada de Roberto de Sable

A mulher explica que Altair chegou tarde demais e que Roberto já organizou uma aliança entre os Sarracenos e os Cruzados contra os Assassinos. Sabendo que ela não era seu alvo, Altair não a matou e foi embora.

Altair repassou o ocorrido para Malik, ele afirma que irá atrás de Roberto e que não tem tempo para consultar Al Mualim, Malik reforça que é contra as regras ir sem a permissão de seu superior, mas Altair o convence que Al Mualim está estranhamente escondendo fatos da história e que ele não devia comprometer os objetivos da Ordem por conta de formalidades.

Antes de partir, Altair pede para Malik investigar a fundo o que realmente está acontecendo, talvez assim ele consiga perceber aquilo que ele ainda não conseguiu.

Altair vs Roberto

Em Arsuf Altair se vê ao meio a batalhas entre os Sarracenos e Cruzados, o Assassino consegue escapar do ataque dos inimigos e chega até o acampamento de Roberto de Sablé. Lá ele encontra o Ricardo Coração de Leão que impede sua aproximação.

Altair revela sua identidade de Assassino e acusa Roberto De Sablé de trair o rei e que ele deveria não ter os Assassinos como inimigos, mas sim Roberto que ordenou os homens que ele havia assassinado para agir em favor de seus próprios interesses.

Roberto negou tudo, mas inesperadamente Ricardo resolveu que ele não conseguiria identificar quem estaria falando a verdade e deixou aos céus esse dever ao propor um duelo entre Altair e Roberto, o vencedor então seria o escolhido e aquele que fala a verdade.

Roberto, Altair e Ricardo em cenas finais de Assassin's Creed

O Assassino sai em desvantagem já que ele primeiramente tem que enfrentar de uma vez vários soldados, após derrotá-los Altair enfrenta Roberto e o derrota.

Antes de morrer, Roberto revela que Al Mualim é de fato um Templário traidor que o usou para matar aqueles que desejavam conquistar o Pedaço do Éden também conhecido como A Maçã do Éden 2.

Após a vitória, Ricardo aceita como verdade o que Altair disse e o deixa ir embora. De volta a Masyaf, Altair encontra os moradores da cidade atuando de forma estranha, como se estivessem hipnotizados, todos agiam como se Al Mualim fosse um Deus que os iria guiar.

Altair e Malik em Masyaf

Indo em direção ao castelo, Altair se encontra com Malik e outros membros da Ordem que ajudam a conter os ataques, ele revela que sabe da traição de Al Mualim para ambos os grupos. Altair pede que Malik distraia os outros Assassinos sob o controle de Al Mualim para que ele se aproxime do traidor.

Altair vs Al Mualim

Chegando na sede da Ordem, Al Mualim usa o poder da maçã para imobilizar Altair, o Assassino pede explicações, mas o seu mentor explica que fez tudo para conquistar a paz, ele matou todos aqueles que poderiam influenciar na continuação das Cruzadas e agora controla as mentes das pessoas para o seu mundo ideal.

Al Mualim usando a maçã do éden 2

Al Mualim faz aparecer a ilusão das 9 pessoas assassinadas nas últimas missões para enfrentar Altair, ele derrota todos eles e pede para batalhar com Al Mualim, ele aceita o desafio confiante de seu poder e faz aparecer várias ilusões dele mesmo, um total de 9 Al Mualims enfrentam Altair.

Após derrotar algumas das ilusões, Al Mualim continua a batalha usando seus poderes com outras estratégias, durante um momento Altair perguntou por que ele não foi controlado, Al Mualim esclarece que tentou controlá-lo no momento em que estava com o artefato, mas ele não havia conseguido e que de alguma forma Altair viu através da ilusão que a Maçã do Éden cria.

Al Mualim revela que muitos fatos históricos aconteceram por conta dos Pedaços do Éden como a abertura do mar vermelho, as pragas do Egito e inclusive o início da Cruzada, ele alega que somente está criando uma ilusão para substituir por outra menos violenta.

a morte de Al Mualim em Assassin's Creed

Após uma difícil batalha, Altair consegue derrotar Al Mualim, em seus últimos momentos ele expressa sua surpresa por ter sido derrotado, Altair avisa que irá destruir o artefato.

Altair se aproxima do objeto, mas nesse mesmo momento uma forte luz começa a sair dele, a pequena bola começa a projetar um mapa do mundo com lugares marcados por todos os continentes, nesse instante o Assassino descobre que não poderá simplesmente destruir o artefato, aparentemente ele não é o único Pedaço do Éden.

De volta ao laboratório

Desmond sai da Animus e pergunta o que foi aquilo que ele viu nas memórias passadas, o doutor Vidic o ignora e informa a 3 misteriosos homens que estavam em outra sala sobre o mapa. Miles não ficou sabendo na hora, mas esses 3 homens são: Kilkerman, Rikkin e Liman, sendo Alan Rikkin o chefe dos Templários nos tempos modernos.

Os homens que aparentam ser os superiores do doutor comunicam que estarão coletando as peças do mapa e que necessitam de todas elas e que uma já era o suficiente. Eles ordenam que Desmond seja assassinado já que não tem mais serventia.

Lucy propõe que Desmond seja mantido vivo para no caso deles precisarem de mais alguma memória de seu passado, todos concordam, apesar do doutor não ter gostado da ideia.

Vidic e Lucy saem da sala, Desmond passa a ver estranhos símbolos por todos os cantos, a máquina Animus fez com que ele herdasse o poder Eagle Eye ou Olhos de Águia de Altair que permitia ver coisas que outros não conseguem.

Desmond descobriu que durante seu confinamento na Animus que os Assassinos da atualidade tentaram resgatá-lo antes que seja tarde, mas os Templários conseguiram impedir.

Dentro do quarto onde ele ficou confinado, Desmond viu diversas mensagens e símbolos de diferentes linguagens, ele viu no computador de Vidic que mais pessoas foram usadas no Animus, Miles se pergunta o que todas essas mensagens significam.

FIM

Gostou do artigo? Não se esqueça de curtir a Fã Page do site e se inscrever no canal do Youtube. Notou algum erro? Quer deixar alguma observação? Deixe um comentário logo abaixo que responderei assim que possível.

8 Comentários (Os comentários são aprovados manualmente pela admin do site e por isso não aparecem de imediato)

  1. Muito bom, seu texto está bastante rico e direto, gostei muito também pelo fato dos links estarem presentes. Eu não abri todos, prefiro ler antes mas vou ver depois. Será que tem algum game na China? Ia ser muito interessante se deparar com o Sun Tzu por exemplo, o mestre da guerra! Só joguei um game dessa série e zerei no celular mesmo, rsrs. Esse tinha o DaVinci, e era muito legal. Até joguei outros, mas não gostei tanto. Ouvi dizer que os templários tem ligação com a maçonaria, será?

    Acho que os assassinos não iam gostar do tio Patinhas, ele tem ligação com os templários, o clã Mac Patinhas!Hahahahaha!! Mas as histórias são bem legais, no entanto!

    • Sim existe um na China, hehe, aliás tem muita história interessante para servir como enredo do jogo, sobre a maçonaria não conhecia. Foi anunciado nestes dias que o novo AC vai ser no Egito, será lindo, hehe.

      hahah eu adoro as histórias do Tio Patinhas, principalmente aquelas que envolve “A Patada”, kkkkk.

  2. Olá, Bruna Cardoso

    Já li todos os livros e zerei todos os jogos da saga. Achei seu resumo está leal a historia passada, apesar de conter alguns erros de português e algumas coisas que fazem alguma importância não estão ali. mas ainda assim gostei bastante do seu resumo. Acho que você poderia falar um pouco mais sobre os assassinos e templários, explicar o que é cada uma dessas sociedades secretas e explicar como foram criadas, pôs acho importante descrever o porque esses personagens fazem o que fazem e porque eles lutam.

    Obrigado

    • Olá Luca, legal ter gostado do texto, obrigada por apontar os erros de português, eu mudei algumas palavras, não sei se tirei todos erros mas já corrigi alguns. Fico feliz de saber que alguém que sabe mais sobre a saga dos Assassins Creed do que eu tenha aprovado o texto, eu somente sei profundamente a história do primeiro e superficialmente a história dos outros, acredito que poderei fazer um texto explicando melhor a relação os templários e assassinos depois que me aprofundar mais nesse interessante mundo.

Deixe um comentário