Home Artigos Especiais Dreamcast: O último console da SEGA, por que o sonho acabou?

Dreamcast: O último console da SEGA, por que o sonho acabou?

Compartilhe

Nesta matéria você vai conhecer um pouco sobre o último console de videogame criado pela SEGA e entender melhor por quais motivos ele não teve grande sucesso e foi aquele que encerrou a produção de aparelhos de videogame da SEGA.

O que é Dreamcast?

Lançado em 1998 no Japão e em 1999 no ocidente, o Dreamcast foi um console desenvolvido pela SEGA e é considerado o primeiro da sexta geração de videogames, a mesma do PlayStation 2, Xbox e GameCube.

O Dreamcast e seu controle principal

O nome é a junção de duas palavras do inglês: Dream (Sonhos) e Cast (Invocar, chamar). O uso deste nome é mais do que justo para o que este console entrega, realmente um grande avanço em questão de gráficos, mas se ele é realmente um sonho, por que deu tão errado?

O Dreamcast foi também o primeiro console de videogame que já vinha com o modem para conexão com a internet.

Fora do tempo

Em vários sentidos o Dreamcast foi um console fora de seu tempo, para a época ele representa um progresso, um console do futuro com seus gráficos 3D elevados como nunca visto antes e conectividade.

Dreamcast o console futurista

Porém, pode-se dizer também que o Dreamcast lançou no momento errado, se ele tivesse lançado um tempo depois, é bem capaz de que ele não teria sido um fracasso nas vendas com relação aos concorrentes.

Um pesadelo chamado PlayStation 2

Grande culpa do fiasco das vendas do Dreamcast pode ser atribuído aos seus concorrentes da época e principalmente ao PlayStation 2.

Em resumo, o PlayStation 2 era mais barato para os consumidores e sobretudo para os desenvolvedores do que o Dreamcast.

PlayStation 2

Para uma desenvolvedora criar um jogo do Dreamcast era necessário muito mais investimento, basta colocar na balança e você já nota a diferença, criar jogos para o PlayStation 2 custava menos e dava mais lucro.

Por que ele foi o último console da SEGA?

Não que o Dreamcast seja um console tão ruim ao ponto de fazer a SEGA desistir de vez de criar consoles, mas antes de seu lançamento a empresa já havia sofrido com o Sega Saturn.

O problema do Dreamcast não foi a qualidade dele em si, mas o momento que o mercado de games enfrentava, por exemplo, muitos dos custos para consumidores e desenvolvedores seriam reduzidos se o Dreamcast usasse a mídia DVD.

Dreamcast foi o último console da SEGA

É completamente compreensível que na época a SEGA tenha escolhido a mídia GD-ROM para os jogos, essa mídia era uma espécie de CD com mais capacidade de espaço, no caso 1,2 GB, sem contar que o DVD era uma novidade cara.

Além de amenizar a pirataria com uma mídia menos acessível para cópias, os jogos poderiam usar mais espaço e, portanto, ter uma qualidade maior.

Infelizmente a blindagem contra a pirataria não funcionou, depois de um tempo era mais fácil você comprar jogos pirateados do Dreamcast do que os originais e então as vendas pararam.

GD Room do Dreamcast

Não só isso, o fracasso da SEGA em seus consoles pode também não ter sido causado por problemas financeiros, mas sim na confiança que a empresa passava para o consumidor.

A SEGA lançava um console atrás do outro, as pessoas já não tinham muita segurança ao comprar já que em breve sairia um outro modelo, isso contribuiu também para as vendas baixas.

Com todo o prejuízo causado pelo Sega Saturn e depois Dreamcast, em 2003 a SEGA encerrou a produção do Dreamcast na Europa e Austrália, em 2004 não era mais fabricado na América e finalmente em 2007 o Dreamcast parou de ser criado no Japão, país ao qual ele obteve mais sucesso.

Com o mercado já conquistado pela Sony com o PlayStation 2, com a Nintendo e até mesmo com a entrada da Microsoft, para sua própria sobrevivência, a SEGA percebeu que não devia mais criar nenhum console e somente produzir jogos.

Jogos que marcaram o Dreamcast

Muitos jogos incríveis marcaram a história ao serem lançados no Dreamcast, foram em torno de 350 games lançados para o console nos Estados Unidos e mais de 800 no Japão.

Mesmo depois do console ter parado de ser produzido, algumas desenvolvedoras no Japão ainda lançaram jogos oficiais para ele, ainda hoje existem também vários fãs do Dreamcast que criam jogos para ele.

Crazy Taxi do Dreamcast

Não tem como falar do Dreamcast sem mencionar Crazy Taxi, Shenmue e Jet Set Radio, esses jogos foram inovativos e marcantes.

Aqui no Brasil não é segredo algum que o Sonic é um dos preferidos e para o Dreamcast não foi diferente, dentre os mais vendidos está no topo da lista o Sonic Adventure, Sonic Adventure 2 e Sonic Shuffle.

Sonic Adventure do Dreamcast

No ambiente online alguns jogos que tiveram mais sucesso foi o Quake III Arena, Maximum Pool Online, Star Lancer, 4X4 Evolution e Phantasy Star Online que até hoje podem ser jogados online de forma alternativa.

Shenmue foi o mais ambicioso dos jogos do Dreamcast e é considerado por muito o melhor game já criado.

shenmue do Dreamcast

O Phantasy Star Online foi um jogo histórico do Dreamcast sendo o primeiro a aceitar crossplay entre 4 dispositivos, ou seja, os jogadores de Dreamcast podiam jogar com os do Xbox, PC e Gamecube.

Outros jogos do Dreamcast que merecem destaque são: Resident Evil: Code Veronica, Soul Calibur, Power Stone 2, Skies of Arcadia, Grandia 2 e Marvel VS Capcom 2: New Age of Heroes.

Hoje em dia

Atualmente a SEGA está com um projeto chamado SEGA Forever ao qual ela traz gratuitamente para dispositivos móveis jogos clássicos e inclusive lá você pode jogar o Crazy Taxi lançado para o Dreamcast.

Conforme prometido, a SEGA parou realmente com a produção de consoles e agora se concentra em criar e publicar jogos para outras plataformas.

Você também encontra na Steam uma coleção com os jogos do Dreamcast para você jogar em seu PC.

O Dreamcast é considerado por algumas pessoas como o melhor console e muito ainda jogam.

Você tem um Dreamcast? Qual seu jogo preferido? Deixe um comentário abaixo.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here